Causas e as consequências das infecções urinárias

Postado por Centro Paulista de Urologia em 15/07/2011

A infecção urinária surge quando há um crescimento anormal de bactérias no trato urinário. É mais comum em mulheres – estima-se que 35% do sexo feminino terá uma crise ao menos uma vez na vida – e poucas levam a complicações como a que causou a morte da modelo capixaba Mariana Bridi. O urologista especialista em infecções urinárias Luis Augusto Seabra Rios, membro da Sociedade Brasileira de Urologia e professor da Universidade Federal de São Paulo, explica como surge e qual o tratamento do distúrbio. Tem outras dúvidas? Faça sua pergunta ao médico Ricardo Lima, chefe da CTI do Hospital Samaritano
 
 
Quem está mais suscetível a infecções urinárias?

A doença é mais comum em mulheres sexualmente ativas, mas também pode acontecer em crianças e idosos. Diabéticos também têm mais risco. Na infância, a infecção urinária merece atenção especial, já que pode indicar uma má formação de certos órgãos.

“A infecção urinária não é uma doença sexualmente transmissível, e não se pode contrair a infecção de alguém”

O que é uma infecção urinária e por que ela é mais comum em mulheres sexualmente ativas?

A infecção urinária não é uma doença sexualmente transmissível, e não se pode contrair a infecção de alguém. Durante o sexo, a uretra da mulher encurta e abre mecanicamente. Neste processo, bactérias da flora intestinal podem passar para esta região. A infecção urinária acontece quando há uma falha na defesa da bexiga, que não consegue se proteger das bactérias do próprio organismo. A infecção urinária leve também costuma ser chamada de ‘cistite de lua-de-mel’.

Existem tipos diferentes de infecções urinárias?

Sim. Elas podem ser causadas por bactérias diferentes, e também podem atingir regiões diferentes do sistema urinário. Em mulheres, ela costuma atingir a bexiga (cistite) e os rins (pielonefrite). Nos homens, ela pode acometer a próstata, os testículos e os rins.

Quais os sintomas da infecção urinária?

Dor na bexiga, sensação de queimação ou ardência ao urinar, vontade urgente e dificuldade de urinar ou sangue na urina costumam ser os principais sintomas da cistite, a infecção mais simples. Já a dor na lombar, um mal-estar geral, febre e mudanças na cor e no odor da urina são sinais de pielonefrite, a infecção urinária mais grave. Nestes casos, não hesite em procurar um hospital. Algumas pessoas podem ter pouca sensibilidade no trato urinário e não sentir os sintomas iniciais.

Como é o tratamento?

As infecções urinárias são tratadas com antibióticos. Em 80% dos casos, estas infecções podem melhorar sozinhas.O ideal é consultar um médico assim que surgirem os primeiros sintomas, fazer um teste de urina, detectar o tipo de bactéria e tomar o antibiótico de acordo com o caso.

“Em mulheres, ela costuma atingir a bexiga (cistite) e os rins (pielonefrite). Nos homens, ela pode acometer a próstata, os testículos e os rins”

Em que casos é necessária a internação?

Se as bactérias tiverem se espalhado além da bexiga, geralmente o médico costuma exigir a internação, já que complicações podem surgir em 20% dos casos, principalmente se a infecção chegou aos rins. O paciente costuma ficar cerca de 48 horas internado, recebendo antibiótico pela veia, e depois da alta continua o tratamento adequado em casa.

Há como prevenir?

Algumas medidas podem ajudar a diminuir as crises, principalmente em quem costuma ter cistites recorrentes. Beber bastante líquido ao longo do dia, não segurar a urina por muito tempo, usar calcinhas ou cuecas de algodão e evitar roupas apertadas são as principais recomendações dos médicos. Nas cistites causadas pelas relações sexuais, alguns médicos sugerem urinar logo após o sexo, evitar a penetração até que a vagina esteja bem lubrificada e manter uma boa higiene, principalmente se houver sexo anal.

 

Fonte: www.extra.globo.com
 
 
 
 

Categorias: Banner,Especialidades,Tratamentos | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,